Arquivo mensal: maio 2014

Rebel Belle, por Rachel Hawkins

03f02

Rebel Belle é o ultimo livro da autora da série Hex Hall, Rachel Hawkins, o título foi lançado em abril nos Estados Unidos pela editora Penguin. Na minha opinião o nível de inglês desse livro é fácil e mesmo pessoas sem um conhecimento profundo de vocabulário conseguem ler ele, sem ter que ficar toda hora checando palavras no dicionario. Quer saber do que se trata?

É sobre Harper, uma garota do sul dos Estados Unidos, que é o exemplo da cidade, primeira em todas classes avançadas, líder de todos os clubes da escola, com um perfeito namorado e uma das garotas mais populares da escola. Ela é a perfeita Southern Belle, até que na noite do Homecoming algo pra lá de bizarro acontece e nada mais na vida de Harper vai ser o mesmo.

Esse livro foi exatamente o que eu espero de uma leitura leve e agradável, foi rápida apesar de ter 300+ e me fez rir em tantas, mas tantas ocasiões! Eu estou louca para ler os outros livros dessa autora, porque o estilo de escrita dela é incrivelmente viciante e gostoso de ler, me arrependo já de não ter lido Hex Hall ainda.

O livro em si não teve muita história assim, ela tem um toque sobrenatural e não foi algo muito profundo, mas assim foi original então foi legal de ler sobre uma mitologia que normalmente não é explorada nos livros young adult.

Mas o ponto alto mesmo do livro (e que me fez voar pelas páginas dele) foi os personagens. Nos temos a personagem principal e nossa narradora hilária, Harper, ela foi incrível, apesar de ser a garota mais popular não caiu no clichê de ser irritante e ignorante com as outras pessoas, pelo contrário ela é uma das personagens mais simpáticas e educadas que eu já li, o humor dela também era exatamente o meu tipo, sempre com comentários irônicos ela me ganhou.

O romance desse livro foi a parte mas sem sal, na minha opinião, basicamente tem um triangulo amoroso nesse livro, mas é tão, mas tão obvio quem a Harper realmente gosta e com quem ela vai terminar que tirou toda a graça.

No fim das contas uma ótima leitura, perfeita para dar aquele break entre leituras mais intensas e emocionais, para simplesmente relaxar e dar uma boa gargalhada. Super recomendo para todo mundo!

Convergente por Veronica Roth

1461045_708213885857115_1545083191_n

Convergente é o ultimo livro da série Divergente, neste livro nos vamos finalmente descobrir o que está depois da cerca que cerca Chicago e saber sobre o funcionamento dessa sociedade distópica mais a fundo. Tris ainda lido com várias batalhas emocionais, com a perda de muitas pessoas, seu relacionamento turbulento com o irmão e dúvidas em seu namoro com Tobias, e agora é hora de deixar isso de lado para salvar ou destruir o mundo que ela conhece.

Uma palavra para esse livro: decepção. Eu comecei a ler esse livro assim que terminei Insurgente e estava louca para saber como essa série iria terminar, mas as poucos esse livro foi me deixando mais e mais irritada com o rumo que estava tomando, com explicações sem sentido, uma tonelada de personagens novos nada importantes e novos problemas que foram muito mal resolvidos. Como diz Jack, vamos por partes.

A explicação do porque das facções e dessa sociedade distópica foi dada nesse livro e me irritou até o ultimo fio de cabelo, cada vez que esse assunto entrava em cena eu tinha que resistir para não gritar e arrancar as páginas desse livro.

O que também me irritou foi que nesse livro nos deixamos Chicago, sendo que a cidade está sofrendo guerras entre as facções e um grupo rebelde, e partimos para o mundo depois da cerca, não me leve a mal eu estava super feliz de finalmente ver o que iria acontecer, mas fiquei extremamente decepcionada. Ao invés de só usar essa saída da cerca para explicar os divergentes e não divergentes, somos introduzidos para toda uma nova sociedade com problemas tão ruins quanto ou piores do que Chicago, tudo para ser deixado sem uma solução.

O epilogo foi um dos capítulos que mais me agradou, pelo menos deu uma finalidade para Chicago e todos aqueles personagens que tínhamos acompanhado desde o primeiro livro.

A escrita da Veronica continua me fazendo ler seus livros super rápido, mas nesse livro temos diferentes pontos de vista, para a Tris e para o Tobias, só que a voz dos dois era super parecida então várias vezes tive que voltar ao começo do capítulo para ver quem estava narrando, ainda assim eu vou chegar os próximos livros dela, só espero que eles me agradem mais. É com um cara triste que eu acabo essa trilogia, tinha tudo para ser uma série para recomendar, mas depois desse livro eu não acho que eu possa fazer isso.

 

SPOILERS A FRENTE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

A explicação foi de que há genes responsáveis por comportamentos como violência e outros comportamentos ruins para a sociedade, e realmente existe estudos que mostram que determinados genes causam propensão a violência, mas é só isso uma propensão que pode ser evitada em um ambiente saudável e estimulação para atividades para descarregar energia, etc. Nos temos esse conhecimento atualmente, então porque essa sociedade do futuro não tem esse conhecimento também? Porque em algum momento as pessoas que controlam essa sociedade decidiu colocar toda a culpa das desgraças no mundo nesse bendito “gene do mal” e apagou toda a história que a gente conhece e estuda. Mas agora me diz porque cientistas, que é isso que eles parecem ser, iriam querer colocar a culpa em algo que eles sabem que não é a real culpa? Não tem nenhuma explicação de porque escolheram essa história dos genes serem determinantes de comportamento, sendo que há evidencias de que não é.

Também a explicação sobre as facções foi extremamente idiota, elas foram simplesmente um ato aleatório decidido por um grupo de cientistas para testar se iria funcionar e funcionou. Eu esperava que eles fossem usar os genes como determinantes para certas facções sabe? Para explicar porque seres humanos conseguiriam viver sobre uma única característica dominante, mas não foi assim e as facções são só outro buraco nesse universo distópico.

Maratona Literária #EuSouDoideira

1

 

Oi gente, hoje eu venho aqui anunciar que eu vou participar de uma maratona literária!

MARATONA LITERÁRIA #EUSOUDOIDEIRA! será bem simples. Consistirá em ler 7 livros em 15 dias. Começa agora dia 1 de Junho (domingo) e encerra dia 15 de Junho (domingo, também!). Doideira, não? O nome já diz tudo!

Fácil e objetiva, a maratona é para divertir e ajudar naquela fila imensa de livros não lidos que temos. Eu mesmo, to lotado de livros não lidos e estou quase arrancando um fio de cabelo por cada livro não lido – o que me leva a ficar careca ou calvo!

Mas para adocicar a maratona, – adocica, meus amor! -, vamos para uma regrinha especial! Cada livro deverá ter uma música para si no final de cada leitura. Divertido, não? Acabou a leitura? Escolha uma música que mais se adeque a esse livro, firmeza?

Para aqueles que possuem blogs, esperamos as nossas boas e velhas resenhas, ok? Não esquece de tuitar e publicar no grupo! Vamos interagir! E ah, acrescente a música de cada livro na sua resenha!

Convido vocês então, a participarem dessa doideira toda! Caso queiram participar – eba! -, peço que por gentileza, se inscrevam no FORMULÁRIO com seu nome, e-mail e outras perguntinhas bem rápidas. E para aqueles que quiserem interagir, estaremos no grupo do Facebook (aqui).

Os sete livros que eu escolhi para ler a principio são:

1. Extras, por Scott Westerfeld
2. A lua de mel, por Sophie Kinsella
3. Samantha Sweet, Executiva do Lar, por Sophie Kinsella
4. Antes que eu va, por Lauren Oliver
5. Seraphina, por Rachel Hartman
6. Promessa de Sangue, por Richelle Mead
7. Almas Sombrias, por L.J. Smith

Espero que eu consiga ler todos esses livros e planejo a cada livro lido postar a resenha com a música aqui no blog para manter vocês informados do meu progresso. E ai, quem está participando também gente?

TOP 5 SÉRIES QUE MAIS ME INFLUENCIARAM

Oi gente, hoje eu to aqui para mostrar para vocês os livros que mais me influenciaram no meu gosto literário, cada um me tocou de um jeito e principalmente me direcionou para o que eu leio hoje. Vamos lá?

03f02

Eu me lembro de quando eu comprei “A Princesa Apaixonada” (sem saber que era o terceiro de uma série e sem ter lido os anteriores da série), foi a primeira vez que o meu pai me deixou escolher um livro na livraria que era sem figuras então eu me lembro de pensar que aquele era o meu primeiro livro de “gente grande”, na época eu tinha nove anos e essa série me acompanhou até os meus dezesseis anos, que foi quando o ultimo livro “Princesa Para Sempre” foi lançado. Essa série não é uma que eu releria agora, mas foi algo que me abriu portas para todos os livros que eu li por conta própria durante a minha adolescência então ela sempre vai ter um lugar especial na minha estante.

03f02

Quando o primeiro filme saiu em 2000, me lembro de não querer ver por nada nesse mundo, bruxos? Puff, que filme mais idiota. E resisti a ver os filmes até 2002, quando eu me lembro de ter ido a locadora e todas as comédias românticas que tinha lá eu já tinha visto, então o que me restava além de locar o filmes com os bruxos? Loquei e amei, ali começou minha paixão por essa série. Mas somente em 2005 eu comecei a ler os livros da série, e se tornaram uma obsessão ainda maior do que os filmes, nos anos que se seguiram (até 2008, mais ou menos) eu estava sempre relendo algum dos livros da série paralelo com o livro que eu estava lendo no momento, já perdi a conta de quantas veze reli os livros depois da sétima vez e eles abriram todo um amor pela literatura sobrenatural, esses foram os primeiros livros que eu me lembro de realmente me importar com os personagens, realmente chorar, ficar frustada, alegre e triste, tudo dependendo da história, foram os primeiros livros que realmente me fizeram querer não parar mais de ler.

angus

Essa série não me marcou tanto quanto as outras, pois eu não me lembro de quando eu li exatamente e como foi a história dos livros em si, mas ainda assim ela é extremamente importante porque me apresentou para todo um novo humor que antes eu não conhecia e até hoje é a série mais engraçada que eu já li. A série tem 10 livros ao total, mas eu só li os 5 publicados aqui no Brasil pela Editora Rocco, num futuro próximo espero comprar os outros 5 em inglês para ler e terminar a coleção.

03f02

Gossip Girl é definitivamente a série mais longa que eu já li e com mais spin offs também, mas eu realmente amo os primeiros livros dessa série. Eu comecei a ler ela quando eu era muito nova, lá pelos meus 11 ou 12 anos e eu realmente não recomendo ler ela nessa idade, porque tem vários temas difíceis (como álcool e bulimia) que são tratados como algo comum, mas tirando isso essa série me acompanhou durante meu ensino fundamental muito antes da série de tv surgir e me fez criar um gosto pelas fofocas do ricos e famosos. Apesar da série não ser mais uma preferida minha atualmente, principalmente pelos spin offs não serem tão bons quanto a original, eu ainda gosto de ler os livros dessa série por serem leituras viciantes e facilmente lidos em um dia.

Twilight

Então, é, essa série foi extremamente importante para determinar minhas leituras, provavelmente a mais importante já que me introduziu ao gênero “young adult” – que é o gênero que eu mais leio livros atualmente. Eu li o primeiro livro da série na virada do ano de 2007 para 2008, então as primeiras quatro horas do meu 2008 foram passadas lendo “Crepúsculo”, não é preciso dizer que vicei na série. Perdi a conta de quantas vezes reli “Crepúsculo” e “Lua Nova” naquele verão, “Eclipse” eu só fui ler na metade do ano de 2008 e acabei não gostando tanto e li “Amanhecer” para terminar a série mesmo e acabei bem decepcionada. Apesar de todas as criticas que essa série recebeu depois do lançamento dos filmes a minha experiencia com ela foi basicamente de uma leitura leve e viciante.

E ai gente, algum desses livros estão na lista de vocês também? Se estiver me conte nos comentários abaixo, se não me diga quais estão na sua.

Insurgente por Veronica Roth

1461045_708213885857115_1545083191_n

Em Insurgente Tris não é mais a garota que nos foi apresentada em Divergente, ela passou por um bocado no final do ultimo livro e não vai ser fácil de superar e seguir em frente principalmente porque não há tempo para isso: as facções estão por um fio, suas ideologias fazem com que uma contrarie a outra e antigas rixas estão cada vez mais fortes.

Nesse livro nos vimos um pouco de cada facção e foi extremamente interessante, saber sobre os rituais de cada uma, como funcionam internamente, isso deu uma profundidade para o universo distópico que Roth criou de uma forma que o primeiro livro não conseguiu atingir.

Mas ao mesmo tempo esse livro me frustou bastante. Nos conhecemos as facções internamente porque Tris esta tentando buscar apoio nelas e salvar essa sociedade dos ataques dos Eruditos, mas a cada plano eles falham e isso me deixou extremamente frustada com a história. Eu sei que isso foi proposital para mostrar as facções, mas ainda assim me fez sentir como uma barata tonta correndo desesperada em uma caixa de fósforos.

Os personagens também deixaram a desejar nesse livro. Tris não é mais a garota que conhecemos em Divergente, mas eu consigo entender o porque da mudança dela e até mesmo sentir um pouco da dor dela. No outro lado Quatro me irritou até não poder mais, ele mudou do dia para a noite, sem uma boa explicação, em várias vezes nesse livro ele se comportou de um jeito “alfa-macho” com a Tris, a deixando de fora de suas decisões e por vezes até um pouco bipolar, eu hein o que aconteceu com aquele Quatro que acreditava e a apoia, escutava, se importava com a opinião da Tris? Quero ele de volta!

Mas apesar desses apesares eu ainda aproveitei esse livro demais, a escrita da Veronica Roth nunca me decepciona e eu sempre fico grudada nas páginas dos livros dela. Basicamente Insurgente da um novo rumo para a série, mais sério e com menas ação pode ser uma decepção para os fãs de Divergente, mas comigo funcionou.

O livro foi publicado pela Editora Rocco aqui no Brasil, o que está esperando para se juntar a esse fandom? <4

TBR Jar

Oi gente, hoje não tem resenha mas um anuncio. Eu tenho alguns livros que eu comprei a pouco tempo, outros a muito tempo e que acabaram ficando na minha estante não lidos, todas pessoas que tem uma biblioteca pessoa sabem que isso sempre acaba por acontecer e com a pascoa eu ganhei mais uns 7 livros só nesse mês de abril então vendo uns videos eu tive a ideia: vou fazer uma TBR Jar!

Para quem não conhece TBR significa To Be Read (Para ser lido/Para ler) e Jar significa jarro, então basicamente a ideia é colocar todos os nomes dos livros que você tem na sua estante não lidos em pedaços de papel e colocar eles em um jarro/pote/o que você quiser. Eu vou retirar todo mês um papel aleatório do pote e fazer um post aqui no blog deixando vocês saberem que livro que eu vou ler do meu tbr jar no mês.

A ideia é bem popular entre canais de videos sobre livros no youtube e começou no ano passado com um vídeo da Mother Effing Books e eu decidi fazer o meu jarro depois de ver o vídeo da Pâm, do Garota It.

Olha como ficou bonitinho o meu jarrinho gente!

2014-04-28 20.01.40E eu já tirei o primeiro livro, que eu vou ler agora no mês de maio e o livro foi A Simple Soul, by Vadim Babenko. Eu ganhei esse livro ano passado em um sorteio do Goodreads First Reads e eu estou devendo uma resenha desde então, ótimo para começar com tudo a limpar minha tbr pile e minha tbr pile para resenhas!

2014-04-28 20.02.00

 

Divergente por Veronica Roth

13450162Divergente é o primeiro livro de uma série distópica que (acredito) todo mundo já ouviu falar. A história se passa na cidade de Chicago no futuro, um futuro onde a sociedade para sobreviver se dividiu em cinco facções: Amizade, Erudição, Franqueza, Audácia e Abnegação. Cada facção tem uma característica que da nome a ela e isso define toda a vida de seus membros, em todos os campos desde como eles andam e falam até seus empregos. Mas imagina você tendo que viver em torno de uma só característica de sua personalidade, impossível né? Para Tris também, e isso a torna diferente, a torna divergente.

O melhor ponto desse livro foi a escrita, em nenhum segunda Veronica nos deixou respirar em paz, o livro é longo e mesmo assim eu li ele super rápido, algo que eu não faço muito. Eu tenho certeza de que vou querer chegar todos os outros trabalhos dela simplesmente pela escrita, é fácil de ler, rápida, é como conversar com um amigo, eu amei.

O segundo melhor ponto foi a personagem principal, Beatrice/Tris, a garota me conquistou nesse livro! Apesar de ela ter que seguir as regras dessa sociedade distópica, ela nunca parou de se perguntar o sentido de tudo aquilo e por vezes seu gênio contrário ao regime a meteu em problemas, deixando tudo mais interessante é claro.

Outro personagem principal para a série é Quatro, o garoto misterioso e gostoso mais do que conhecido nesse gênero mas que apesar disso conseguiu me surpreender e no final me conquistou. Quando o romance começou a mostrar sua cara eu achei que ele não combinava muito com o livro, mas vendo o relacionamento entre Tris e Quatro se desenvolver não pude deixar de torcer e ficar feliz por eles.

Um ponto fraco no livro foi jeito que  o plot foi criado, no começo até a metade do livro eu estava meio insegura porque não podia ser simplesmente em torno de Tris a nossa história, quer dizer é uma distopia cade o sentimento de revolta? De mudar esse mundo controlado pelas facções? E nos só somos apresentados, realmente, para as falhas desse sistema no final do livro. Isso é muito comum em livros juvenis, mas eu acredito que esse livro tinha páginas suficientes para ser mais bem desenvolvido e esse ponto acabou trazendo o livro todo para um patamar mais baixo.

Divergente é um livro bom, com falhas, que ainda assim vai te surpreender com sua premissa que parece comum e bem juvenil, mas está longe disso. O livro foi lançado no Brasil pela Editora Rocco, leia e deixe Tris e Quatro te conquistar também :p