Arquivo mensal: junho 2014

O Beijo das Sombras, por Richelle Mead

12483970

Rose é uma Dampira – meia vampira, meia humana – que esta treinando em São Vladimir (ou Academia de vampiros como Rose chama ironicamente) para ser a guardiã de Lisa, uma princesa Moroi – vampiros que aguentam uma certa quantidade de sol e não matam humanos ao se alimentar. Mas tudo muda quando Lisa e Rose fogem da Academia, pois algo está as rondando e deixando Lisa assustada. Dois anos se passam e as garotas conseguem viver no mundo humano sem encontrar um Strigoi (vampiros que não suportam a luz do sol, matam quem se alimentam e tem um desejo especial por sangue Moroi) quando finalmente a Academia as encontra e é hora de voltar para a escola. Nem tudo vai se resumir a deveres com essas duas, quando antigos medos voltam a assombrar a vida delas é hora de decidir se elas ficam e os enfrentam ou correm para longe da academia de novo.

Ufa, quando informação né? Bom foi assim que eu me senti algumas vezes lendo esse livro, Richelle Mead criou um novo mundo dentro do nosso e para apresentar ele ao longo desse livro por vezes parecia que estava lendo uma enciclopédia ou um dicionario. E lendo a sinopse pode parecer até meio confuso, eu sinceramente nunca tinha entendido como esses vampiros e meio vampiros funcionavam até ler o livro em si, a boa noticia é que a escrita da Mead é fácil e leve tornando esse mundo, apesar de complexo, muito fácil de se entender.

E esse mundo ficou muito mais fascinante pelo uso da Academia como um internato, eu já tenho um ponto fraco por livros que se passam em internatos colocando os vampiros na mistura eu amei! E realmente passou uma atmosfera mais mágica, é fácil acreditar que esse mundo que a Mead criou pode ficar escondido de nos se ele se localiza em um internato no interior, isolado do resto do mundo.

Apesar desses aspectos mágicos esse livro também teve espaço para dramas escolares, e muito mais do que eu pensava que poderia. Nos temos várias cenas de bullying, fofocas, festas e dia a dia escolar, o que no começo do livro ajudou a quebrar um pouco o clima de todas as informações que eu tinha recebido, mas depois da metade do livro parecia mais algo que estava só preenchendo páginas sem tanta relevância assim e não era para esse tipo de drama que eu estava lendo um livro de vampiros.

Mas os aspectos paranormais se mantiveram presentes ao longo da história, principalmente através de flashbacks e eu não adivinhei o final vindo nem quando estava quase na minha cara, o que foi um ponto alto da leitura.

Sobre os personagens, bom o livro é em primeira pessoa então acho natural que eu me conectei mais com Rose, a narradora, ela é totalmente o contrário das perfeitas e puras narradoras da maior parte dos livros paranormais. Sempre pronta para bater ou xingar alguém que a esta irritando ou chateando um de seus amigos, ela me conquistou com seu gênio e por cometer erros.

No final das contas O beijo das sombras é um livro que todo amante de vampiros ou do gênero paranormal deve ter na sua lista de próximas leituras. O livro foi lançado aqui no Brasil em 2009, pela editora Nova Fronteira.

Anúncios

Runes por Ednah Walters

12483970

Runes não é um livro original no quesito paranormal, se tu já leu alguma quantidade de livros desse gênero tu já conhece a formula: garota não popular, mas ainda assim bonita o suficiente para todos os caras gostarem dela, triângulo amoroso envolvendo o cara novo e misterioso e o amigo/queda de longa data, aspectos paranormais não muito desenvolvidos ou explicados. Então se você gosta dessa formula esse livro vai ser uma leitura que você vai gostar do livro, mas se você já se cansou dela fuja desse livro.

A história começa com Raine, uma garota de dezesseis prestes a fazer dezessete anos, que acredita que finalmente seu relacionamento com o melhor amigo vai se tornar algo a mais esse ano, enfim tudo ia bem até que ela conhece seu novo vizinho, Torin, o garoto misterioso e incrivelmente bonito a tira do sério como nenhuma outra pessoas, mas ao mesmo tempo a conhece tão bem…

Apesar da história de Torin como o garoto misterioso é a mais clichê do universo eu acabei dando boas risadas com ele, sempre com tiradas sarcásticas e o seu jeito de bad boy acabei gostando do seu personagem na maior parte do tempo. Raine também não foi tão irritante quanto outras heroínas paranormais e eu consegui gostar dela na maior parte do livro. Mas no lado não tão positivo os personagens não eram… reais, eles pareciam caricaturas de tantos outros que já se viu por ai e unidimensionais demais.

A parte mitológica também não foi o ponto alto desse título, eu não tenho muito conhecimento sobre mitologia nórdica (que é do que o livro se trata) então estava esperando acabar o livro conhecendo mais sobre o assunto, mas não foi o que aconteceu. A explicação para os aspectos paranormais foram resumidas em um paragrafo e acabou sendo bem decepcionante.

No fim das contas eu tenho sentimentos misturados sobre esse livro, ele não é uma leitura que eu odeio ou que eu não recomendaria a ninguém, mas ele também teve suas falhas e sinceramente eu me vejo esquecendo dele e todos seus personagens em alguns meses. O livro foi publicado nos USA em maio de 2013, pela Firetrail Publishing e eu diria que o nível de inglês é básico. 

 

No Aleatório

Oi gente, hoje eu estou aqui para apresentar mais um novo espaço para o blog e ele vai se chamar No Aleatório, basicamente eu vou compartilhar com vocês uma musica que eu escolhi de modo aleatório (ou nem tanto) entre as musicas que eu ouço e vou combinar essa  musica com um livro que me fez lembrar da musica, dai eu vou explicar o porque da combinação. Esse post não contém spoilers.

E a musica da vez é Robots do Dan Mangan, e eu fiquei feliz com essa escolha acho que a musica não é muito conhecida então já fica de indicação. Bom o livro que eu escolhi combinar  foi As vantagens de ser invisível do Stephen Chbosky. 

O motivo de eu ter combinado essa musica com esse livro são vários, o primeiro é pelo ritmo suave que essa musica tem ao longo de toda ela assim como o livro contou a história em um ritmo constante, mesmo em momentos que tratava de temas tabus. Também é algo que eu imagino que os personagens do livro, Charlie e seus amigos ouviriam.

Agora sobre as letras da musica, eu acho que a musica toda tem uma letra que se relaciona com o Charlie, como no começo diz “I don’t know what you’ve been told / But I don’t get out much these days” como Charlie começou sendo por fora da turma legal e sem amigos, mas acabou se tornando parte desse grupo e como ele acaba criando laços com essas pessoas e começando a aproveitar seu ano escolar, acho que essa ideia que ele passa de infinito pode ser sentida nos versos “And sing your stupid head off to / The ones who are not listening / … / Don’t let them go to waste”. 

12483970

*Para ouvir a musica clique na foto acima

E ai vocês gostaram dessa mistura? Acham que realmente combina?

 

 

Skoob: em um relacionamento complicado

Oi gente, hoje eu venho aqui para contar para vocês o meu relacionamento com o Skoob, como todos vocês já devem saber Skoob é um site social para amantes de livros em que você pode criar um perfil, marcar os livros que você já leu, que quer ler, que desistiu de ler, postar resenhas, adicionar resenhas e interagir com outros leitores. Soa ótimo não é? Mas eu não sei se é só comigo, mas a magia que o Skoob parecia ter quando eu o criei foi sumindo até desaparecer.

Bom, eu comecei a usar o Skoob (como acho que todo mundo começa) inspirada pelo fato de ter achado uma rede social baseada em livros já que isso já era uma parte da minha vida: ler. E lá eu comecei a adicionar os livros, adicionar amigos e ver o que eles estavam lendo e ir adicionando sempre mais livros nos meus livros para ler. E foi meio aqui que as coisas começaram a ir água a baixo para mim e o site, eu não sei se sou eu ou se o pessoal lá é assim mesmo mas eu esperava interações entre os meus amigos, em conversas e mais conversas sobre livros, mas isso não acontecia… Nunca.

Eu mesma sou culpada por isso, em parte, minha frequência no site não é assídua tem vezes que fico meses sem entrar, outras vezes que entro todos os dias para atualizar os livros que eu estou lendo. Mas não é só minhas atualizações com livros que ficam perdidas nesses tempos que eu fico sem entrar, mas também recados ficam sem serem respondidos e conversas acabam ficando perdidas, discussões que eu comecei em resenhas ficam esquecidas e dai eu e o site não criamos um vinculo forte até hoje.

Eu não sei se isso é algo pessoal ou se realmente o Skoob não atingiu o meu objetivo de ser uma rede social amigável para os leitores. Não sei se a culpa é maior pelos usuários que não usam as ferramentas que o site da ou se o site tem um formato que fez com que os usuários não se adaptassem a usar essas ferramentas talvez?

Não tenho uma resposta para isso, mas o meu relacionamento com o Skoob é e sempre foi um relacionamento complicado, por um lado é um lugar ótimo para conhecer novos livros e pessoas com os mesmos gostos, mas ao mesmo tempo falta vida naquele site que mais parece uma casa abandonada (para mim).

E com vocês qual é o seu relacionamento com o Skoob: também complicado? Ou vocês tem um relacionamento sério com o site? Me digam nos comentários abaixo e vamos discutir isso 🙂

Recomendando: Para ler rápido

O “Recomendando” é um espaço aqui no blog que eu uso para recomendar livros para vocês leitores, eu sempre vou selecionar um gênero especifico para recomendar e vou escolher livros que me marcaram de alguma forma ou que apresentaram um história única – basicamente livros que eu acho que devem ler lidos por todos 🙂

Hoje eu mudei aqui um pouquinho, não escolhi um gênero e sim uma… situação? Não sei, mas enfim, eu resolvi escolher um livro que seja perfeito para uma leitura rápida, sabe aquela sexta-feira a noite, sem nada para fazer além de entrar de baixo das cobertas nesse frio e ler a noite toda? Pois é, o livro de hoje é perfeito para essa situação.

Pegando Fogo, pela Meg Cabot, é um livro relativamente longo (308 páginas) para ser lido em uma noite só, mas eu consegui e a culpa é da escrita leve e divertida da Meg – que está presente em todos os livros dela. Apesar desse não ser o trabalho mais brilhante da autora, essa história se faz perfeita para ler rapidinho, sem nada muito complexo da para terminar sem nem notar que o tempo passou.

Untitled-1

Com Katie se metendo em mil e uma confusões por causa de suas mentiras, vários garotos atras dela vai ser difícil da garota não se meter em encrenca – e de você não rir dessas encrencas e continuar virando as páginas.

O livro foi publicado no Brasil em 2009, pela Galera Record. E você já leu algum livro em um sentada só? Foi um livro da Meg? 

O Chamado do Cuco por Robert Galbraith

12483970

 

O chamado do Cuco conta a história de Cormoran Strike, atual detetive e veterano de guerra, que estava a ponto de desistir de sua carreira como detetive por não ter mais como bancar seu escritório em Londres até receber uma visita de um cliente, esse cliente é nada menos do que o irmão da super modelo que esta em todos noticiários como tendo se suicidado, mas seu irmão não acredita nessa versão da história. Ele esta certo? E se estiver, sera que Cormoran vai conseguir desvendar esse caso?

Primeiramente esse livro não é um livro de ação, eu vi várias reações de pessoas entrando nesse livro e ficando decepcionadas pela lentidão da história e realmente é assim, se você gosta de um livro com várias sequencias de ação e precisa que a história te prenda desde o começo para o livro te agradar eu não acho que essa seja uma história que você vá gostar. O livro é longo e o mistério da história se baseia basicamente na junção de pistas para resolver o crime, então a história tem um começo lento e gradual – mas lá pela metade do livro a história vai ficando cada vez mais intrinsecada e fica mais e mais difícil de largar o livro.

Mas a parte que mais me agradou nesse livro foram os personagens, principalmente Cormoran e Robin. Cormoran começou como um tipo quieto, e eu não tinha muitas opiniões formadas sobre ele, mas ao longo do livro ele foi se tornando mais uma… pessoa e eu fui criando laços com ele, entendendo mais seus sentimentos e as razões de ele ser como é. E com Robin foi amor a primeira vista, ela é a típica garota de 20 e poucos anos que sempre ralou para manter um emprego, perfeccionista e dedicada não teve como eu não sorrir ao ler ela divagando sobre seu sonho de ser uma detetive. E as interações entre esses dois também é incrível, começando como um lance de chefe-secretaria estranheza, mas acredito que no final do livro eles já eram mais amigos que colegas e mal posso esperar como a relação deles vai evoluir no segundo livro.

Outro fator que vendeu o livro para mim foi o fato de Lula (a suícida/assasinada) ser modelo, eu adoro qualquer livro que nos deixe olhar de perto a vida dos famosos e ricos então fiquei super feliz pelas cenas que mostravam esse lado da vida de Lula, se você adora fofocas desse mundo provavelmente vai curtir umas partes desse livro.

Eu recomendo esse livro para todos amantes de histórias de detetives ou simplesmente para quem está morrendo para ler algo novo escrito pela J.K. Rowling que não se importe por começos lentos. Tenho certeza de que não irá se arrepender!

O Chamado do Cuco foi lançado aqui no Brasil em 2013, pela editora Rocco.